Exames COVID-19

Exames Realizados Para Detecção Do Covid-19

A pandemia do Coronavírus pegou todo mundo de surpresa, e o número de infectados vêm subindo no mundo todo, cada dia mais. No Brasil, já ultrapassamos a marca de mais de 1 milhão de pessoas infectadas com a doença. Mas como são feitos os exames realizados para a detecção do covid-19?

No Brasil, as testagens ainda estão em um limite muito abaixo do ideal, o que tem contribuído para a proliferação da doença no território nacional. Isso prova que em um momento como esse, os exames realizados para a detecção do covid-19 são essenciais para fazer o isolamento dos infectados e controlar a transmissão da doença.

Os testes para a detecção dos exames podem ser feitos por via pública, sem custos, ou por via privada. Se você quer saber quais são os exames realizados para a detecção do covid-19 e como eles são feitos, confira esse guia completo que preparamos para você.

Exames realizados para a detecção do covid-19: Quais são?

Com a crescente onda de infecção que vêm assolando o nosso País, as empresas que oferecem testes para o Covid-19 também tiveram uma demanda de testagens muito superior no último semestre de 2020, mas nem todas essas empresas ou testes são confiáveis.

Segundo registros, cerca de 138 empresas no Brasil solicitaram a Anvisa permissão para a realização desses testes, e a maioria delas ainda está em análise e eficácia. Mesmo as que já garantiram suas autorizações, estão tendo problemas em detectar essa doença que ainda é um enigma para o mundo científico.

Nos últimos dias, pudemos ver vários casos até mesmo de pessoas famosas, como foi o caso da Ludmilla e sua esposa Bruna, que fizeram os testes e receberam um falso negativo para a presença de anticorpos, que indicava que ambas já haviam contraído a doença.

Mas entre os testes mais realizados, dois tem se sobressaído como métodos mais confiáveis de testagem, que é o caso do teste molecular RT-PCR e Teste Sorológico IgM/lgG.

Qual a diferença entre os testes para detecção do COVID-19

Como vimos acima, os exames realizados para a detecção do covid-19 não são todos confiáveis, mas os que se destacam pela sua eficácia até o momento são:

● Teste Molecular RT-PCR

Esse é o teste considerado padrão na maioria dos Países, ele identifica e confirma a infecção pelo Covid-19. Esse teste detecta o RNA do vírus por meio da amplificação do ácido nucleico pela reação que ele tem com a cadeia da polimerase.

Esse teste deve ser realizado no começo da doença, de preferência na primeira semana, que é quando o indivíduo possui grande quantidade do vírus Sars-CoV-2 em seu organismo, e assim, a chance de receber um falso positivo ou negativo é mínima.

A coleta acontece por meio de swabs, que são cotonetes no qual são colocados na nasofaringe, por meio nasal, ou orofaringe, por meio oral. Quem vai realizar esse teste no hospital é o profissional que tiver o primeiro contato com o paciente no ambulatório ou consultório.

● Teste Sorológico IgM/lgG

Diferente do teste molecular, a preferência da realização desse exame é que seja feito á partir da segunda semana de possível contaminação da doença, quando a quantidade do vírus no organismo já diminui progressivamente e o paciente está iniciando a produção de anticorpos, principalmente os de classe IgG e IgM

Os anticorpos de classe IgM são mais precoces e fáceis de serem detectados, já os de IgG podem demorar até 14 dias após a contaminação para serem detectados pelos profissionais de saúde.

Para realizar esse teste, é necessária uma amostra de soro após punção venosa, que é realizada em laboratório, ou por meio de sangue capilar através de punção digital que são os testes imunocromatográficos.

Qual a importância das testagens em massa?

Temos ouvido falar da precariedade do Sistema de Saúde no Brasil em oferecer a testagem para o maior número possível da população, mesmo para as pessoas que não apresentam nenhum sintoma. Mas por que é tão importante investir em exames realizados para a detecção do covid-19?

A OMS classificou a testagem como método número um na prevenção da disseminação da doença, ficando inclusive na frente da quarentena, que é a segunda colocada como método de prevenção.

Isso ocorre, pois, tendo a informação de quem está infectado ou não, fica muito mais simples isolar os possíveis transmissores e garantir que as pessoas que não estão infectadas possam circular com mais segurança.

Países como a Coreia do Sul são um exemplo de como seguir essa recomendação pode realmente trazer resultados benéficos para a população em geral, e diminuir a contaminação da doença.

Por isso, os exames realizados para a detecção de Covid-19 são de extrema importância, e devem ser ampliados para a maior parte da população, principalmente nas cidades que são focos de contaminação.

Compartilhe este artigo nas suas redes sociais

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com pinterest
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp
Compartilhe com email