Teste do Pezinho

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DO PEZINHO PARA A SAÚDE DO BEBÊ

A Triagem Neonatal, mais conhecida como Teste do Pezinho, é um conjunto de exames laboratoriais realizado nos primeiros dias de vida do bebê. O teste ajuda diagnosticar e tratar precocemente doenças metabólicas, genéticas e ou infecciosas que podem causar deficiência intelectual, danos neuropsicomotor, caso não sejam tratadas nos primeiros dias de vida.

Este exame foi incorporado ao Sistema Único de Saúde (SUS) no ano de 1992 (Portaria GM/MS n.º 22, de 15 de Janeiro de 1992) com uma legislação que determinava a obrigatoriedade do teste em todos os recém-nascidos vivos.

O exame é feito a partir de algumas gotas de sangue que costumam ser coletada do calcanhar, nessa região estão presentes muitos vasos sanguíneos, o que facilita o acesso ao sangue.

O período ideal entre para realização é  3º e o 7º dia de vida, pois neste intervalo o recém-nascido já foi alimentado o suficiente para evitar falsos-negativos nas doenças dependentes de amamentação. Fora desse período o teste não é invalidado, porém a sua efetividade pode ser reduzida, é importante consultar o médico pediatra em caso de dúvidas.

Existem diferentes perfis para a realização do teste do pezinho, com diferentes conjuntos de exames. Dentre as doenças pesquisadas estão:

  • Hipotireoidismo congênito
  • Deficiência de biotinidase
  • Fibrose cística
  • Anemia falciforme

HIPOTIREOIDISMO CONGENITO

O Hipotireoidismo Congênito (HC) é causado pela incapacidade da glândula tireoide do recém-nascido em produzir quantidades adequadas de hormônios tireoidianos, que resulta numa redução generalizada dos processos metabólicos. O recém-nascido com Hipotireoidismo Congênito geralmente apresenta sintomas ao nascer, mas com o tempo a deficiência dos hormônios tireoidianos leva ao atraso de desenvolvimento e deficiência mental grave.
O momento ideal para o diagnóstico do Hipotireoidismo Congênito é, sem dúvida, o período neonatal, pois é sabido que a partir da segunda semana de vida a deficiência de hormônios tireóideos poderá causar alguma lesão neurológica.

DEFICIENCIA DE BIOTINIDADE

A Deficiência de Biotinidase (DB)  é uma doença metabólica hereditária na qual há um defeito no metabolismo da biotina.  Clinicamente, manifesta- se geralmente a partir da sétima semana de vida, com distúrbios neurológicos e cutâneos, tais como crises epiléticas, hipotonia, microcefalia, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, alopecia e dermatite eczematoide. Nos pacientes com diagnóstico tardio observam- se, frequentemente, distúrbios visuais, auditivos, assim como atraso motor e de linguagem.

FIBROSE CÍSTICA

A fibrose cística é uma doença crônica, que atinge o sistema digestivo, o pâncreas e os pulmões, causando secreções pulmonares e má absorção intestinal. Além disso, há aumento da viscosidade do muco, obstruindo as vias aéreas e causando um quadro de infecções crônicas.

O tratamento recomendado para a fibrose cística está direcionado a um acompanhamento médico regular, com dieta específica, uso de enzimas pancreáticas e fisioterapia respiratória, além de suplementação vitamínica.

A doença apresenta taxas de mortalidade altas, mas, ao ser detectada no teste do pezinho, os riscos se reduzem.

ANEMIA FALCIFORME

A anemia falciforme é uma doença causada por uma alteração na estrutura da molécula de hemoglobina. Por isso, a deficiência compromete o transporte de oxigênio, provocando graves prejuízos a diferentes tecidos e órgãos.

Os problemas acontecem porque os glóbulos vermelhos, ao serem expostos a certas condições, alteram sua forma e tornam-se mais parecidos com uma foice, por isso o nome falciforme. Assim, os glóbulos modificados unem-se uns aos outros, o que dificulta a passagem do sangue pelos vasos do corpo.

QUAL A IMPORTÂNCIA DO DIAGNOSTICO PRECOCE?

Identificar possíveis alterações, evitando atrasos no tratamento, podendo interferir no curso da doença, traçando tratamento específico que minimize ou elimine as sequelas associadas a cada enfermidade, proporcionando melhoria na qualidade de vida do bebê.

Compartilhe este artigo nas suas redes sociais

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com pinterest
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp
Compartilhe com email